• Fabio Ritter

A história de um goleiro

A história que vou narrar abaixo é daquelas que quando queremos dizer o que é ser goleiro lembramos dela. Afinal de contas, fazer parte deste seleto grupo não é apenas um sentimento qualquer, um sentimento superficial ou algo vago. É muito mais que isso. É um desejo profundo que muitas vezes não conseguimos explicar porque.

Juliano Mendes é um goleiro de 31 anos que mora atualmente em Newark, Nova Jérsei, Estados Unidos. Ele chegou há 3 anos e meio no país ianque buscando fazer testes em equipes da MLS como Columbus Crew e Kansas City.

Depois de diversas peneiras, contando com mais de 300 jogadores, Juliano ficou entre os 20 melhores goleiros e, mais tarde, entre os 2 finalistas. Quis a sorte ficar do outro lado e Juliano não foi chamado. Depois de uma série de promessas dos clubes que novas chances surgiriam, ele acabou desistindo e foi trabalhar em uma churrascaria brasileira.


Trabalhando das 10 da manhã à meia-noite, de segunda a sábado, Juliano ainda arranjou tempo para os treinamentos, pois nunca abandonava o sonho de conseguir uma nova oportunidade. Ficou treinando na equipe semi-profissional Icon FC.

No dia 25 de Agosto de 2011, Juliano foi assistir ao treino de um amigo que jogava em uma universidade local, chamada Bergen Community College. Como um bom goleiro, ele foi preparado e levou uma mochila consigo, carregando seus pertences básicos de goleiro.

A luz no fim do túnel brilhou e o Coach (como é chamado o treinador nos EUA) pediu para que Juliano se aproximasse. Ali faltava um goleiro e assim foi pedido ao brasileiro que participasse do treinamento. Depois de um treino tático e um extenso coletivo, Juliano estava cansado, ainda mais com a carga do trabalho do dia anterior. No entanto, tinha a certeza de ter feito uma boa atuação.

Para sua grata surpresa, ao final dos trabalhos, a comissão técnica se aproximou dele e com entusiasmo lhe ofereceu uma posição no time, com bolsa de estudos universitários inclusa. Mesmo com 31 anos e tendo de jogar com garotos de 20, ele não hesitou e agarrou logo a oportunidade de cursar pela primeira vez uma universidade, ainda mais nos Estados Unidos.


Juliano começará nas próximas semanas o campeonato universitário local. Ele mostrou que não devemos nunca abandonar nossos sonhos, pois mesmo que eles não se realizem, eles podem nos levar para outros caminhos nunca antes imaginados e que podem ser tão iluminados quanto. O fim de uma carreira profissional de goleiro pode ser o início de uma bela carreira na profissão que Juliano vai exercer após terminar a faculdade. O destino quis assim. Parabéns Juliano.

0 visualização0 comentário
logo_bola.png