• Fabio Ritter

Bolas alçadas

Não é corporativismo de minha parte, mas ontem não culpo apenas os goleiros Saja, do Grêmio, e Guto, do Brasiliense pelos gols sofridos em bolas alçadas na área. Ambos os gols foram sofridos de maneira muito parecida, a partir de cruzamentos da direita cobrado por destros, com o cruzamento fechando em direção ao gol e caindo na linha da pequena área.

Tal responsabilidade não pode ser apenas do goleiro uma vez que o atacante sempre leva a vantagem de em um leve desvio colocar a bola fora do alcance do goleiro, já que este em primeiro lugar considera a bola indo direto ao gol. Assim, tem que pensar em primeiro lugar proteger a meta do cruzamento a gol. Por isso defendo que deve sempre existir um homem responsável por marcar apenas a bola nessas situações, talvez até dois. E ambos devem sempre marcar a bola que é alçada e cai no primeiro poste ou vai rasante em direção ao gol. A bola mais longa no segundo poste pode ser interceptada mais fácil pelo goleiro ou até mesmo pelos outros zagueiros já que ela leva mais tempo até cair.

Desta forma, é claro que não podemos isentar de culpa nossos goleiros nesses gols sofridos ontem, pois sempre que o atacante chega milésimos de segundos antes do que o goleiro, algo está errado. Deveriam ter decidido o lance com maior rapidez de movimento. Porém divido a culpa deles com a má colocação da zaga que tem obrigação de marcar essa bola de primeiro tempo.

1 visualização0 comentário
logo_bola.png