• Fabio Ritter

Eles também erram

A rodada deste final de semana teve pequenas falhas de alguns goleiros e uma grande falha do, aqui já elogiado, goleiro Júlio César, do Botafogo. Novamente.

O jovem goleiro do Fogão errou em bola, feio, após recuo de seu zagueiro. A bola passou reto, como se não houvesse ninguém em sua trajetória e foi morrer no fundo das redes. Já é a segunda falha recente, e grave, do goleiro botafoguense que ainda está se firmando no futebol. Necessita um pouco mais e atenção e calma. Me parece, visto de fora, que ele ainda é um pouco inquieto. Entra aí o tão falado e estudado fator psicológico dos goleiros. É fato que a calma é fundamental para a posição. Assim, penso que ele precisa de um pouco mais de equilíbrio emocional para render mais.

O gol também serve de alerta aos técnicos. A bola recuada pelo zagueiro nunca deve ser feita em direção ao gol. São vários os exemplos de goleiros que erram, pois quase nunca tem boa qualidade com os pés, e deixam a bola entrar em seu gol.

Por fim, duas correções de posicionamento a serem comentadas. A primeira, do goleiro Diego Cavalieri, do Palmeiras. Saiu atrasado no segundo gol do Goiás. Mesmo sabendo que trata-se de uma bola difícil, a saída deve ocorrer de maneira mais decisiva.

A outra correção é do goleiro Wilson, do Figueirense. No primeiro gol do Atlético, ele ficou demasiadamente para a sua esquerda, deixando o lado direito muito aberto. A bola de Danilinho não foi tão no canto, mas mesmo assim bateu o goleiro.

0 visualização0 comentário
logo_bola.png