• Fabio Ritter

Entrevista: Andrey Nazário, Cruzeiro


Guarda-Metas.com: Quando tu decidiste que querias ser goleiro? Andrey: Na verdade, eu não tinha a certeza de que queria ser goleiro. Somente tinha a certeza que queria jogar futebol, tanto que pedi ao meu pai que me colocasse na escolinha de futebol do Grêmio ainda muito cedo. No início, eu tentei ser atacante, mas um dia faltou um goleiro e fui pro gol para ajudar, Me saí bem na posição e nunca mais saí de debaixo das traves.

GM: Onde destes teus primeiros passos na posição? Andrey: Nos campos de terra da Vila Nova (zona sul de Porto Alegre), pois eu queria jogar com os mais velhos que eu e a condição era que eu jogasse no gol.

GM: Quem foi o treinador de goleiro que mais te ensinou fundamentos? Andrey: Tive alguns treinadores nesses meus muitos anos de futebol (escolinha desde 91 e profissional desde 2000), mas sem duvida nenhuma grande parte do que sei hoje aprendi com o Carlos Salomão e Oscar Rodrigues.

GM: O que se passou na tua cabeça na estréia no profissional do Grêmio? Andrey: Fiquei emocionado porque foi a realização de um sonho que durou pouco, pois gostaria de estar até hoje atuado no meu time do coração, mas um dia ainda volto para o Grêmio, se Deus quiser.

GM: Qual foi tua melhor atuação da carreira? Andrey: É difícil dizer, pois glórias a Deus, tive muitos bons momentos na minha carreira. Mas tive um jogo muito bom na minha estreia no Steaua de Bucarest, da Romenia, e também tive uma boa atuação pelo Figueirense, contra o Grêmio, no Olímpico, em 2006. Acho que esses momentos marcaram

GM: Qual foi o jogo no qual te sentiste mais nervoso? Andrey: Não me lembro de um jogo especifico, mas o nervosismo é normal e necessário, pois te deixa mais alerta, mais ligado. Alguns momentos que falhei em minha carreira foram por estar mais tranqüilo, menos nervoso, e isso gerou uma acomodação.

GM: Hoje és um goleiro profissional, mas tu achas que tem algum fundamento que ainda és deficiente? Andrey: Acho que deficiente não. Mas sempre temos que estar aprendendo e aperfeiçoando nossos fundamentos.

GM: Qual é tua maior virtude em baixo do gol? Andrey: Acho que a saída do gol e a reposição de bola. No entanto, para esses fundamentos funcionarem você tem que estar confiante e com rimo de jogo, senão fica tudo prejudicado.

GM: Para ti, qual é a melhor luva do mercado hoje? Andrey: Hoje em dia os materiais estão muito iguais e com qualidade. Gosto da Poker, pois usei muito tempo, e da Reebok, que também é muito boa.

GM: Qual teu ídolo na posição? Andrey: Gosto muito do Rogério Ceni por tudo que ele fez no São Paulo e também por ser um cara humilde que nas vezes em que jogamos contra sempre me tratou com atenção e educação. Também gosto do Fabio Ritter (risos, óbvio).

GM: Já conhecias o Guarda-Metas.com? O que achas da iniciativa? Andrey: Sim, já conhecia. Acho muito importante, afinal é sempre bom divulgar essa raça (goleiros) que é sempre tão discriminada, que é mais cobrada, não pode errar e que muitas vezes não recebe a valorização merecida.

GM: Para finalizar, que recado gostaria de passar aos goleiros do Blog, tanto aos que estão iniciando, quanto aqueles que estão na ativa em alto nível e mesmo aos amadores. Andrey: Que treinem cada dia mais. Que se dediquem com amor à profissão e que entreguem nas mãos de Deus seus caminhos porque todo treino do mundo não é suficiente se não tivermos a benção de Deus. Que acima de serem bons profissionais sejam boas pessoas, porque se gostarem e respeitarem você só porque é um bom goleiro, um bom profissional, uma pessoa com poder ou um vitorioso, isso um dia acaba. E os amigos que você conquistou por causa disso onde estarão? Então, aliada a sua qualidade como goleiro, ao seu sucesso, seja uma boa pessoa, pois gostarão de você pela pessoa que você é e não pelo cargo que você ocupa. Dentro de campo é outra historia. Paz e que Deus abençoe.

0 visualização0 comentário