• Fabio Ritter

Fim de trapaça no futebol brasileiro

Pelo menos dentro de campo, uma das grandes trapaças do futebol brasileiro tem apenas mais 11 dias de vida. A ilegal, covarde, suja e trapaçeira paradinha foi finalmente banida do futebol brasileiro. Como no resto do mundo inteiro isso nunca existiu, a FIFA resolveu dar um basta e extinguiu a paradinha a partir de 1 de Junho, conforme anunciou o Globoesporte.com.

Para nossa alegria, no entanto, o árbitro Héber Roberto Lopes já fez funcionar a nova regra e puniu sumariamente o goleiro Viafara (que ironia), no jogo de ontem pela Copa do Brasil entre Vitória e Atlético Goianiense. Héber antecipou em 12 dias a regra, mas eu confesso que não dei bola nenhuma, pois achei maravilhoso um batedor ser punido por isso e ainda levar o cartão amarelo. Mais uma vez, a grande ironia foi que o primeiro punido foi a grande vítima da Era Paradinha, o goleiro.


Vamos aqui relembrar que quando se entra em campo, seja no campo de terra na esquina da tua casa, no campo esburacado do parque, na quadra de grama sintética da segunda-feira, no campo metade areia metade grama do campeonato local, nos estádios de clube de 4ª divisão, no Morumbi, no Maracanã, no Emirates Stadium, na Allianz Arena…. o futebol sempre é um esporte.

No mundo contemporâneo, poucos se lembram dos valores por trás dessa cultura mundial trazidos pelo promotor dos jogos olímpicos da era moderna Pierre de Coubertin. O homem que mais promoveu o esporte na era moderna pregava a participação no esporte como veículo para formação do caráter dos jovens. Para ele, o importante era competir, mas sempre dentro das regras, respeitando-se o oponente. O esporte tinha um papel educacional.

Passados 73 anos de sua morte, alguns princípios defendidos por Coubertin estão perdidos no mundo do esporte. Hoje, ganha-se a qualquer custo e para isso muitas artimanhas são utilizadas. Nós brasileiros somos também número 1 nessa área. A trapaça reina no futebol brasileiro. Até o dia 31 de maio continuará vitimando árbitros, que ingenuamente acreditam nas encenações de falta da maioria dos atletas, e goleiros, com a sacana paradinha.

A partir do dia 1 de junho, o futebol brasileiro passa a ser um pouco mais puro. Encerra um período curto de desonestididade entre os atletas. Um período de humilhação pública dos goleiros, enganados como bobos ignorantes por batedores inescrupulosos. A trapaçeira paradinha vai embora e resgata um pouco da pureza que Coubertin queria levar à sociedade mundial. Obrigado FIFA.

0 visualização0 comentário