• Fabio Ritter

Mão cheia

A primeira rodada do Brasilerão 2007 Série A, foi uma mão cheia de atuações boas e equívocos dos nossos amigos goleiros. É claro que não consegui ver todos os jogos, apenas alguns flashes de Flamengo e Palmeiras, além dos gols da rodada, mas mesmo assim lá vai minha análise.

Fazendo uma breve avaliação dos principais gols sofridos na rodada seleciono os de Renan, do Internacional. Não que ele tenha falhado no primeiro gol do Botafogo, nada disso. Todavia, um melhor posicionamento seria necessário naquela jogada. Ao armar a barreira no seu canto direito, o goleiro posicionou-se no meio do gol deixando o canto esquerdo desprotegido. Assim, o adversário soltou a bomba naquele canto rasteiro. Foi difícil chegar na bola e assim não foi possível evitar o gol. Renan deveria ficar um pouco mais para a esquerda, deixando o lado direito protegido pela barreira. No segundo gol, o goleiro também hesitou na hora de sair. E aí, todos nós sabemos que ficamos sem posição na hora da conclusão, o que levou o goleiro a levar de cabeça o segundo gol. Ou sai com tudo, mesmo que seja para errar, ou fica em posição de defesa.

No jogo do Flamengo e Palmeiras, várias lições foram tiradas. A primeira, e para mim a melhor, é que o Diego Cavalieri não tem porque vestir a 12 e esperar o eterno retorno do Marcos. Cavalieri joga demais e é um dos goleiros mais técnicos em atividade. No jogo deste domingo deu um show de reflexo e posicionamento. Destaco duas jogadas do segundo tempo. A primeira em um lance criado pelo centroavante Paulo Sérgio, pela esquerda, Cavalieri manteve-se fechando o ângulo do atleta e quando este chutou rasteiro cruzado, o goleiro apenas espalmou, com uma mão só, a bola pela linha lateral não dando chance clara de rebote. Na seqüência da jogada ainda fez uma bela encaixada. A outra jogada ocorreu em um chute cara a cara de Juan. Cavalieri caiu certo no canto esquerdo fazendo firme defesa em um chute de menos de dez metros. Um verdadeiro show de reflexo, agilidade e técnica de firmeza e caída.

Já pelos lados do Flamengo, não era o dia do bom goleiro Bruno. No primeiro gol, o goleiro tentou adivinhar um chute distante de cruzamento de Edmundo e acabou se passando da bola. Nessa jogada, não teria porque não ficar a um passo do centro do gol esperando o cruzamento. Depois da bola partir aí sim o goleiro deveria fazer a defesa. Erro parecido ocorreu com o goleiro Diego, do Atlético. Em jogada também de cruzamento lateral, o goleiro ficou parado sem reação e a bola acabou entrando direto. Mesmo tendo todos os méritos dos cobradores, não dá para admitir nossos goleiros não terem tido reflexo nessas jogadas. Deveriam esperar a seqüência da jogada e aí sim sair para a defesa.

Por fim, no terceiro gol sofrido por Bruno, do Flamengo, faltou um pouquinho mais de sexto sentido e uma jogada um pouco mais ágil e corajosa para tentar impedir o gol de Florentim. O Goleiro deu uma de Ceni e ficou estático em pé assistindo a bola entrar. Achei que uma caída lateral para alguns dos lados com vistas a fechar o ângulo seria uma alternativa.

0 visualização0 comentário