• Fabio Ritter

Mão trocada


Na partida entre Hamburgo e Werder Bremen, pelo Campeonato Alemão, o goleiro do Hamurgo, Frank Rost sofreu um gol em cobrança de falta do Brasileiro Diego. A cobrança sem dúvida que foi bem executada, mas Rost poderia ter realizado a defesa, caso optasse pela mão trocada ao invés de ir com as duas mãos na bola.

Repare no vídeo http://terratv.terra.com.br/templates/channelContents.aspx?channel=2564&contentid=216724, no minuto 01:33, que o goleiro executa muito bem o deslocamento lateral chegando bem na bola para fazer a defesa, No entanto, no momento de espalmar, ele opta por ir com as duas mãos na bola. Isso faz com que ele perca alcance dos braços. Repare que seu braço direito, que deveria fazer a mão trocada, não está totalmente esticado, como mostra a foto acima.

Se o goleiro utilizasse a mão trocada nessa jogada, chegaria a um ponto mais alto e mais distante do que chegaria utilizando as duas mãos. Muitas vezes, por sentir maior segurança, os goleiros utilizam as duas mãos para realizar a espalmada. Mas deve-se ter cuidado, pois pode-se não chegar na bola, por esse fator de perder altura e distância. Cabe ao goleiro ler bem o chute antes de utilizar o recurso ou da mão trocada ou das duas mãos. Em cobranças de faltas, geralmente a mão trocada é a melhor solução.

0 visualização0 comentário