• Fabio Ritter

Para quem sabe chutar, para que saber o que é ATP?


Será que uma melhor capacitação profissional não seria mais interessante para a um profissional que hoje ocupa um espaço muito significativo dentro de uma comissão técnica? Hoje, vejo que num grau de hierarquia o treinador de goleiros ocupa o terceiro lugar na participação de um trabalho dentro de campo. Nossas comissões são muito reduzidas… Não seria interessante também esse profissional participar do planejamento e da execução das tarefas que não necessariamente fossem específicas dos goleiros? Talvez, auxiliar o preparador físico nas avaliações, onde os seus atletas também participam dela? Como posso eu verificar o percentual de gordura dos goleiros se eu não sei os pontos antropométricos? Como posso eu prescrever treinamento se eu não conheço periodização? Como posso montar uma sessão de treino se eu não conheço treinamento desportivo? Como posso treinar os goleiros se eu não conheço fisiologia do exercício, o sistema de produção de energia específico desse atleta? É claro que a criatividade é de extrema importância, também o fator chute e sua precisão, que são características específicas e que não se aprende em uma faculdade… Porém, saber montar uma sessão de treino e ter uma visão geral da Educação Física é determinante para que se tenha um melhor trabalho e se conquiste as metas. Será que muitos dos preparadores de goleiros que não receberam uma instrução dos seus preparadores físicos, não estão levando seus atletas a entrarem em acidose usando o sistema glicolítico em vez do ATP-CP? Ou será que para quem sabe chutar não é necessário saber o que é ATP?

Professor Jober Cref.: 19510 Profissional de Educação Física e pós graduado em anatomia e biomecânica Preparador de goleiros do Sendas E.C

0 visualização0 comentário