• Fabio Ritter

Raio X de pênaltis – 07

Em mais uma análise de pênaltis, trago as cobranças de Udinese e Sampdoria, pela Copa da Itália, realizadas na última quarta-feira, dia 22 de janeiro. As cobranças terminaram em 4 a 1 para a Sampdoria.

Nessa série, nota-se mais uma vez duas tendências principais. A primeira é relativa ao quadril do atleta. Quanto mais reto, maior a chance dele chutar cruzado, como pode ser visto na cobrança do camisa 21 da Sampdoria. Por outro lado, quanto mais inclinado o quadril, maior a chance da bola ir no canto do pé. Vale relembrar que esse ângulo de inclinação do quadril deve ser reparado no exato momento da batida do atleta na bola. Ou seja, o goleiro tem que antever isso a milésimos de segundos antes da batida para então definir um canto.

A segunda tendência que se confirmou nessa série é a de que quando um jogador se posta em uma linha extremamente ângulada da bola, este chute tende a ser cruzado. Isso ocorreu nos dois pênaltis da Udinese, ambos defendidos. Os jogadores ficaram muito curvados para a bola e o goleiro da Samp conseguiu ver que dali sairia um chute cruzado.

Abaixo segue o vídeo e o resumo das análises das batidas:



0 visualização0 comentário