top of page
  • Fabio Ritter

Raio X de pênaltis – 12

A rodada do último final de semana foi um prato cheio para quem gosta de acompanhar e analisar as cobranças de pênalti. O Guarda-Metas.com não poderia ficar de fora dessa e analisou as três disputas ocorridas nos campeonatos carioca e gaúcho.

A primeira disputa é a entre Flamengo e Botafogo, pela semi-final da Taça Guanabara, que teve apenas 7 cobranças. Nos gráficos abaixo é possível verificar que nessa disputa os canhotos tenderam a cruzar o chute, enquanto os destros chaparam. Nos dois pênaltis defendidos por Felipe, a cobrança foi na segunda coluna (a partir do meio) tanto na direita quanto na esquerda. Veja o segundo diagrama e entenda melhor.




Na outra final da Taça Guanabara, Fluminense e Boavista necessitaram de apenas uma cobrança a mais, somando oito chutes. A distribuição das cobranças foi bem equilibrada, com os destros apresentando uma leve tendência para cruzar. Nos pênaltis defendido por Thiago, um deles foi na segunda coluna da direita (a partir do meio) o que comprava esse ser o setor de maior incidência de defesas. A outra cobrança defendida foi justamente no meio, pois o goleiro já estava informado que Conca costuma bater ali. Assim, Thiago aguardou o chute parado no centro e fez a defesa.



Por fim, a última cobrança destacada envolveu Internacional e Cruzeiro de Porto Alegre. Esta disputa teve mais chutes, em um total de 12 cobranças. Os canhotos prevaleceram com 7 cobranças contra 5. No entanto, das 3 cobranças desperdiçadas, 100% foram de canhotos que bateram cruzado. Na distribuição total de chutes, destros optaram igualmente pelos lados. Já os canhotos apresentaram uma leve tendência a cruzar. Por fim, os dois pênaltis defendidos foram novamente na segunda coluna da direita, a partir do meio.



0 visualização0 comentário
bottom of page