• Fabio Ritter

Tem que se atirar!

Quem lê o Guarda-Metas.com, primeiro, maior e melhor site de goleiros do Brasil, desde 2007, deve lembrar que sempre bato na tecla da simplicidade. Goleiro tem de simplificar a defesa, buscando sempre evitar gols e também evitar conceder escanteios que possam ocasionar jogadas perigosas.

Esse estilo, muito próprio de goleiros como Buffon, Casillas e, um pouco mais distante, de Taffarel passa segurança à zaga e resto do time, apesar de as vezes não agradar a torcida. Falo isso, pois estamos cheio de goleiros que esperam a bola vir no centro do gol para aí sim pularem espalhafatosamente e espalmar a bola para escanteio. Na sequência, tomam um gol de cabeça e ninguém, dessa mesma torcida que aplaudiu a jogada plástica, pergunta a origem do lance.

O outro lado da moeda é a economia de saltos. Aqui no Brasil, Rogério Ceni muitas vezes é criticado por não saltar em gols que a bola passa a distâncias questionáveis, economizando assim quedas e esforço. Alguns dizem que é seu estilo, outros mais maldosos afirmam que é a idade.

De toda a forma, penso que o goleiro tem de acreditar em todas as jogadas. Não podemos nos contentar com olhar a bola entrar no gol sem muito esforço. Talvez isso não valha para alguns chutes a queima-roupa ou conclusões indefensáveis da marca do pênalti. No entanto, na maioria dos casos, goleiro tem de acreditar que o chute vai entrar e se jogar na bola. Salte, abra os braços, as pernas, grite, faça de tudo para a bola não entrar no gol. Essa é a nossa função.


Na última segunda, teve um exemplo de uma jogada dessas, na partida entre Fulham e Arsenal, válida pelo Campeonato Inglês. Quando já se passava dos 46 minutos e com a partida empatada em um gol, o Fulham teve a chance e não desperdiçou. Marcou o gol da vitória. Veja o lance aqui.


Na jogada, o goleiro polonês Wojciech Szczesny praticamente assistiu a bola entrar no seu gol. Poxa, era 46 minutos do segundo tempo, empate em 1 gol e o goleirão ficou lá, de pé, sem praticamente reação nenhuma. Repare na jogada que muito dessa apatia deveu-se ao posicionamento errado do goleiro, deixando o primeiro poste completamente aberto. Mas mesmo assim, ele deveria ter saltado no canto para ao menos tentar evitar o gol que deu a vitória ao Fulham.

Goleiro tem que ter sangue no olho e muita vontade para evitar o gol adversário. Isso não pode ser confundido com exibicionismo, mas tampouco pode ser apatia. Temos sim que acreditar em todas as jogadas e mostrarmos que estamos empenhados em não sofrer o gol. Caso contrário, seremos vistos como goleiros preguiçosos, o que não serve para nenhum time.

0 visualização0 comentário