• Fabio Ritter

Como preparar Goleiros iniciantes – Formação ou Preparação ( Parte 2)

Wandomar Dionizio da Costa* (http://wandomar.jimdo.com/)


Dando continuidade a segunda parte do texto, sabemos que cada treinador tem a sua metodologia, sendo ela certa ou errada, com ou sem embasamentos, mas estão diariamente colocando em pratica as suas atividades. Mas quero poder compartilhar com vocês, treinadores um método diferente de formação, buscando-os desde o ensino pedagógico, até a preparação física. Como assim? Devem estar perguntando neste momento. Iremos fazer em quatro fases.

1º FASE DE PRÉ FORMAÇÃO 2º FASE DE FORMAÇÃO INICIAL 3º FASE FINAL DE FORMAÇÃO 4º FASE DE FORMAÇÃO ESPECIAL

Observando a tabela abaixo, temos a iniciação ao treinamento para o goleiro conforme a sua idade.


Fase de Pré – Formação – (9 aos 11) É uma idade muito complicada para se trabalhar pois ainda não tem uma opinião formada a respeito do que quer ser realmente , sei que devemos ter uma atenção muito especial sobre este garotos, tendo uma percepção em que local do campo ele terá um desempenho melhor, por isso devemos ter uma didática que possa facilitar, o entendimento deste jovens talentos. Por isso: devemos usar a criatividade, ter jogos adaptados, dando ênfase a melhoria a coordenação motora do atleta, sempre colocando exercícios que tenha graus de dificuldade. Garotos gostam de ser desafiados e nunca se esqueçam: é uma fase de formação, nunca force nada, deixe o atleta se decidir se quer este caminho pra ele.

Fase de Formação Inicial – ( 12 aos 15) Para mim é uma das melhores fases que o treinador pode ter em suas mãos, é daí que começa a ser reconhecido o seu trabalho. Pois em cada movimento que é executado, cada defesa praticada você vai percebendo que está fluindo o seu esforço, e que seus ensinamentos estão sendo assimilados pelo atleta.

Mas lembre-se: você pode ser herói ou vilão nesta fase, pois se ensinar errado tudo é jogado ao léu. Aconselho os treinadores antes de começarem a passar os fundamentos façam uma anamnese, e seus atletas buscando saber, origem familiar, estatura, peso, fazendo um cálculo para não ter problemas futuros, pois não devemos fugir dos parâmetros que o mercado procura hoje. Então por onde começar esta formação? Nos fundamentos básicos do goleiro

Pegadas


Pegadas baixas

Neste fundamento já podemos observar que alem da execução da pegada começa a obter os movimentos de coordenação, sabemos que todos nós temos um lado dominante, e temos tendência de trabalhar exatamente o nosso melhor lado.

Por isso entra a correção e a dedicação do treinador para que venha demonstrar, executar e corrigir se for preciso, o lado não dominante.

Sei que muitos neste momento, devem estar pensando: “Estou calejado de ver isso, preciso de algo novo, para colocar em meus trabalhos”, posso ate entender, talvez eu também pensasse assim se estivesse lendo este artigo agora, mas acredite se você conseguir trabalhar seu goleiro somente baseado nos fundamentos que são exigidos, certamente seu trabalho estará feito, pois o trabalho de formador é somente este, e aos poucos gradativamente, você irá aumentando o grau de dificuldade deste atleta dentro dos seus padrões.

Juntamente com estes dois exemplos podemos acrescentar os trabalhos de posicionamento, tempo de bola, lateralidade (deslocamentos) e também o processo pedagógico das quedas laterais e frontais.


Obs.: As fotos apresentadas neste trabalho foram extraídas do site do Professor e Preparador de Goleiros Cassius Hartmann

*Preparador de goleiros CREF/GO 003650

2 visualizações0 comentário