• Fabio Ritter

Goleiros da História: Jovem maldição

*por Fabio Fernandes


Muitos goleiros treinam, trabalham, buscam um lugar em seu clube e na seleção de seu país. Bodo Illgner não foi diferente. Em partes.

Sempre treinou e trabalhou bastante, mas suas atuações em seu clube, o Colônia, fizeram com que o técnico da seleção alemã, Franz Beckenbauer o nomeasse o titular da Alemanha na Copa do Mundo de 1990. Sua primeira Copa, sua primeira Copa como titular, sua primeira conquista mundial. Tudo isso com 23 anos recém completados.

Mas sua trajetória no futebol começou cedo mesmo. Aos 18 anos de idade, jogando no Colônia, era reserva do polêmico (e ótimo) goleiro Harald Schumacher, que num jogo contra o Bayer de Munique cometeu um penalti e foi expulso. Illgner sai do banco e entra para o jogo.

É claro que não assumiu a titularidade naquele dia, mas começou a fazer sombra para Schumacher que, no ano seguinte foi dispensado pelo clube.

Estava então ali no gol do Colônia o número 1. O jovem goleiro nascido em uma pequena cidade Alemã chamada Koblenz, Coblença em português, a pouco mais de 100km dali.

Parecia prematuro tanta responsabilidade? Ele não pensou assim. Com 1,91m, simplesmente jogava, e transmitia a confiança e a segurança de um veterano.

Tanto que com 21 anos foi reserva imediato do goleiro Immel na Eurocopa de 1988.

A Alemanha perdeu para a Holanda na semi-final, mas Illgner teria mais duas copas do mundo pela frente, sendo que em uma delas seria campeão.

Foi em 90. Com um time muito forte, a começar pelo goleiro. Na semi-final contra a Inglaterra foi decisivo, não só nos penaltis, mas no tempo normal e na prorrogação fez grandes defesas.

Em 94 também foi titular, mas a Alemanha perdeu para a surpreendente Bulgária nas quartas-de-finais.

Foi eleito goleiro alemão nos anos de 89, 90, 91 e 92 e goleiro europeu no ano de 1991.


No final de 1996, Bodo recebeu uma proposta irrecusável do Real Madrid. Continuou sua carreira com sucesso, com um título espanhol logo na primeira temporada. Depois perdeu a posição para Santiago Canizares, mas voltou a ser titular da equipe, conquistando a Liga dos Campeões e o Mundial Interclubes.

Mas quem começa cedo, termina cedo. Illgner estava soberano no gol de Madrid, mas uma contusão no ombro fez com que ficasse afastado por um bom tempo. Quando retornou, encontrou um outro jovem de 18 anos chamado Iker Casillas.

Talvez temoroso em provar do próprio veneno, Illgner resolveu encerrar a carreira aos 34 anos.

0 visualização0 comentário