• Fabio Ritter

Na bissetriz dos ângulos

O bom posicionamento de um goleiro diante de um chute deve ser na bissetriz do ângulo formado entre o batedor e as traves. É óbvio que tal posicionamento é matemático e somente pode ser percebido em livros ou em análises de imagens como a que eu farei abaixo.

No momento da partida, o goleiro vai definir sua melhor posição tentando achar esse ponto. Dessa forma, muitas vezes ele se posicionará fora dele o que implicará em gols. Esse é o exemplo que eu trago abaixo da final do campeonato norte-americano (MLS) no qual o goleiro Cepero, do New York Red Bulls, se posicionou fora da linha da bissetriz e acabou deixando o canto direito aberto. As linhas amarelas traçam as retas dos postes unindo-se ao batedor. O goleiro está no número 2, localizado no círculo vermelho, com o pé já fora da reta. O ideal seria o seu posicionamento no meio das duas linhas amarelas, pois assim fecharia os dois lados. Veja na figura abaixo.


Como o goleiro não pode olhar a todo instante para os postes para se posicionar, a visão periférica, principalmente, é um dos atributos que deve ser treinado para desenvolver essa técnica de posicionamento. Dessa maneira, o goleiro no momento do chute utilizará alguns pontos de referência, como a marca do pênalti, o bico da pequena área, para saber em que posição se encontra. No exemplo acima, que pode ser também visualizado no vídeo abaixo, o fato do goleiro estar para dentro do bico da área seria um bom indício de que ele estava fechando de mais o primeiro poste em detrimento do segundo.

Assim, levanto aqui mais um tópico a ser trabalhado e que alguns treinadores acabam esquecendo. Um bom posicionamento faz o goleiro não precisar de defesas espalhafatosas, faz ele chegar sempre bem postado para a defesa e utilizar o voo somente como o último recurso. Da mesma forma, saber se posicionar para cada chute sem precisar olhar para as traves difere um goleiro fora de série de um mediano.


1 visualização0 comentário