• Fabio Ritter

Quem disse que a gente não decide?

Apesar de ser o designado para evitar os gols, algumas vezes os goleiros também decidem lá na frente. O maior exemplo disso é o grande Rogério Ceni, maior goleiro goleador da história do futebol. No entanto, volta e meia aparecem goleiros centroavantes que vão lá na área adversária e de cabeça resolvem o problema.

Na última terça-feira, pela fase preliminar da UEFA Champions League o goleiro português Rui Patrício, do Sporting, participou diretamente do gol de empate de seu time diante do Twente, na Holanda. Como a partida de ida tinha sido 0 a 0, o gol de emapte que deixou a partida em 1 a 1 classificou o Soprting. No vídeo abaixo se pode ver que apesar do gol não ter sido dado a Patrício, foi praticamente todo mérito dele. O zagueiro, o qual recebeu a autoria do gol contra, apenas empurrou para trás a bola.

Mais uma vez repito aqui a importância de expandirmos nossos horizonte de atuação e não ficarmos somente presos ao nosso trabalho diário de defesas de baixo dos postes. Deve-se sempre aprimorar a condição de ataque do goleiro, ou seja, reposições, jogo com os pés e até mesmo cabeçadas e chutes a gol, por que não. Uma boa dica é participar de jogos sem importância, leia-se peladas, jogando na linha de vez em quando. Isso dará uma pequena, porém importante noção de jogador de linha. O resultado, quem sabe, pode ser um gol destes aos 49 do segundo tempo que classifique seu time.


0 visualização0 comentário