• Fabio Ritter

As eternas maliciosas faltas

Sempre foram vilãs com os goleiros. As cobranças venenosas dos adversários treinadas extenuantemente, as partidas muito equilibradas e as bolas cada vez mais traiçoeiras são as respostas para o ascendente número de gols de faltas no futebol. No entanto, na terceira rodada do Brasileiro, duas cobranças mereceram destaque e correções.

Lucio Flávio colocou com maestria a bola no ângulo de Bruno, é verdade. Mas o goleiro apesar de ter chegado muito bem na bola, não conseguiu espaná-la para escanteio. Certamente pelo simples fato de ter ido com a mão de canto na bola e não com a mão trocada. Tiraria com facilidade se tivesse ido com a mão direita.

Thiago Neves do Flu mandou um petardo no ângulo de Renan, é verdade, também. Mas a maneira como o goleiro armou a barreira merece correções. Renan armou a barreira posicionado no meio do gol, sem estar encostado na trave como de costume. Assim, deixou uma brecha no lado esquerdo muito grande. Ali a bola passou e chegou ao seu ângulo esquerdo. Também deveria ter ido de mão trocada. Chegando de mão de canto apenas conseguiu tocar na bola que foi morrer no fundo das redes. Segunda vez que alerto sobre um gol de falta de Renan aqui.

0 visualização0 comentário