• Fabio Ritter

Bizarrices do bem e do mal

Que final de semana amigo! Conforme já tinha adiantado na fanpage do Guarda-Metas.com no Faceboook (facebook.com/guardametas) este final de semana nos reservou dois lances pra lá de bizarros. Enquanto em um deles o goleiro se deu muito bem, no outro, nem tanto.

Começamos pelo lado bom da moeda. Como já é moda, diversos goleiros sobem à área para tentar uma cabeçada no final do jogo quando estão a um gol do empate ou da vitória, quando esta é extremamente necessária. Assim, o goleiro Jakob Køhler, da equipe do Frem, da segunda divisão da Dinamarca, tocou-se a área adversária buscando empatar o jogo, até então perdido por 1 a 0.

Depois de cobrança de escanteio e confusão na área, o goleiro Køhler aproveitou o cruzamento para emendar de primeira uma linda bicicleta no canto direito do goleiro adversário. Um lindo lance de excelente técnica. Certamente Køhler é um goleiro acostumado a jogar de centroavante nos rachões. Valeu a pena a prática, pois resgatou para o seu time um ponto a mais na competição!

O lado negro da moeda aconteceu em Criciúma, em partida do Tigre local contra o América Mineiro válida pela Série B do Campeonato Brasileiro. Tomando 2 a 0 no placar, o goleiro Michel Alves, do Criciúma, conseguiu marcar um gol contra jamais visto, ao menos por mim, no futebol.

Depois de defender um chute frontal e fraco do atacante Fábio Júnior, o goleiro resolveu colocar a carroça na frente dos bois. Com muita pressa para sair jogando e assim tentar diminuir o escore, Michel acabou não completando a defesa por inteiro e assim, mesmo depois de agarrar firme a bola, enrolou-se com as pernas e acabou deixando a bola entrar no gol.

Mais uma jogada que mostra a necessidade de concentração total na partida. Goleiro não pode errar e para isso tem de estar focado e concentrado no jogo. Nesta jogada. Michel teve muita pressa e acabou não focando na defesa por completo, sua principal função em campo. A pressa foi mais uma vez inimiga da perfeição e o goleiro acabou fazendo este papelão.


0 visualização0 comentário