• Fabio Ritter

Entrevista: Erick Lopes, Palmeiras (Futsal)


Guarda-Metas.com: Quando tu decidiste que querias ser goleiro? Erick: Na verdade, foi um acaso. Sempre freqüentei o Clube Atlético Ypiranga, em São Paulo, e num certo dia (quando tinha 7 anos) pedi para jogar com outros meninos. Como não tinha mais vaga na linha, acabei indo para o gol e desde então não saí mais.

GM: Onde destes teus primeiros passos na posição? Erick: No Clube Atlético Ypiranga mesmo, na categoria Sub-9.

GM: Como foi sua passagem como jogador profissional no futebol de campo? Erick: Minha experiência foi de um ano no Santo André, onde pude aprender bastante com jogadores que atuaram em grandes equipes, como o goleiro Maisena (ex-Corinthians e Inter), o zagueiro Alexandre Rosa (ex-Palmeiras). Mas infelizmente com a chegada do uruguaio Sérgio Ramires, todas as jovens promessas não tiveram mais chance. Como não haviam empresários naquela época, o Santo André optou por me emprestar para uma equipe da quarta divisão. Ajudei a subir a equipe para a terceira, mas as condições não eram boas e então surgiu o convite para retornar ao futsal do Corinthians.

GM: O que se passou na tua cabeça na estréia como jogador de Futsal no Corinthians? Erick: Na verdade, foi uma reestréia porque antes de eu optar pelo campo, já havia jogado lá no Sub-20. Mesmo assim, foi uma sensação muito boa. Lembro como se fosse hoje. Eu voltei ao Corinthians para ser o segundo goleiro, mas na véspera do jogo, o goleiro titular foi dispensado. Só fiquei sabendo disso momentos antes da partida. Vencemos o jogo contra Tejusa, de Indaiatuba, por 3 a 1 e fiz uma boa partida. Desde então, retomei a caminhada no futsal.

GM: Quem foi o treinador de goleiro que mais te ensinou fundamentos? Erick: Valmir de Souza. Ele era o treinador de goleiros do adulto do Corinthians. Eu era do Sub-20, mas já treinava com o adulto. Foi com ele que eu realmente desenvolvi as técnicas para jogar em alto nível. E curiosamente hoje o Valmir tornou-se treinador e estamos juntos no Palmeiras.

GM: Qual foi tua melhor atuação da carreira? Erick: Nestes anos todos, tive várias boas atuações. Graças a Deus!! Mas uma delas ficou mais marcada até por envolver duas grandes torcidas do Brasil. Foi a semifinal do Paulista de 1998. Corinthians x São Paulo. Havíamos perdido o primeiro jogo no Morumbi por 2 a 1 e estávamos perdendo o segundo, no Parque São Jorge, por 2 a 1, com mais de 5 mil torcedores e transmissão ao vivo da Band. Faltavam 3 minutos para o término da partida quando comecei atuar como goleiro-linha. Empatamos o jogo em um lance extraordinário. Do meio da quadra, fiz um lançamento para o Ricardinho e ele, de bicicleta, fez um golaço. Faltando 12 segundos, o São Paulo já comemorava a vaga na final. Mas em um escanteio, a bola sobrou nos pés do Goda e ele tocou para mim. Do meio da quadra, em uma tentativa desesperadora, acertei um chute de bico no ângulo e vencemos. Acho que foi o único chute de bico que dei na vida….A partir daí, comecei a ser reconhecido no mundo do futsal.

GM: Qual foi o jogo no qual te sentiste mais nervoso? Erick: Tirando o Dida, não existe goleiro calmo. A tensão e o nervosismo que nos envolvem é constante em qualquer partida, mas consigo estar concentrado e não deixo que isso atrapalhe as minhas atuações. Sobre o jogo, pode ter certeza, se minha equipe perdeu, estarei nervoso…hehehe

GM: Hoje és um goleiro consolidado no futsal, mas tu achas que tem algum fundamento que ainda és deficiente? Erick: Tive uma base muito boa com o Valmir, mas sempre há o que melhorar. Por conta disso, é preciso treinar forte todos os dias e evoluir mesmo depois de tantos anos. Não saberia apontar apenas uma deficiência e mesmo que soubesse, não falaria. Logo imagino os pivôs lendo esta entrevista….hehehe

GM: Qual é tua maior virtude como goleiro? Erick: Além de desempenhar meu papel normal de todo bom goleiro, acho que também a facilidade em jogar com os pés me ajuda a sobressair neste futsal moderno de hoje.

GM: Para ti, qual é a melhor luva do mercado hoje? Erick: Já trabalhei com grandes marcas e excelentes luvas. Mas desde 2006, após uma passagem pelo futsal gaúcho, conheci a Poker e desde então venho nesta parceria na qual a luva Motion tem atendido todas as minhas exigências.

GM: Qual teu ídolo na posição? Erick: No futebol de campo, o Marcos é um exemplo a ser seguido em todos os sentidos. No futsal, cresci vendo grandes nomes como Serginho, Bagé, Franklin e com a modernidade de jogar com os pés, o Alexandre (da seleção italiana) é um grande espelho.

GM: Já conhecias o Guarda-Metas.com? O que achas da iniciativa? Erick: Já acessava, sim. Acho uma iniciativa muito legal e que valoriza a posição mais ingrata e importante no nosso esporte. É uma grande alegria fazer parte do site e espero contribuir com minha vivência para que novos goleiros surjam no Brasil afora.

GM: Para finalizar, que recado gostaria de passar aos goleiros do Blog, tanto aos que estão iniciando quanto aqueles que estão na ativa em alto nível e mesmo aos amadores. Erick: O trabalho é fundamental para se tornar um bom goleiro e acima de tudo é preciso ter confiança, pois o goleiro vencedor é aquele que jamais deixa de acreditar nas suas qualidades. E para os amadores, que se divirtam e tirem o stress do dia-a-dia e continuem acessando o blog para ficar por dentro do que acontece no mundo solitário dos goleiros, que só nós sabemos como é….hehehe. Abraços

Nome: Erick Moraleda Posição: Goleiro Data de nascimento: 1 de agosto de 1976 Local: São Paulo – SP Peso: 83kg Altura: 1m86

Carreira e títulos

2009 – Palmeiras/Jundiaí 2008 – S.E.RCG/Garça 2006 a 2008 – MFK Tyumen/Rússia 2006 – E.C.Banespa/SBC 2006 – Cortiana/AFF 2005 – A.D.C.Florianópolis 2004 – Corinthians/Unicid 2003 a 2004 – Action 21/Bélgica 2003 – E.C.Goiás 2002 – Santos F.C. 2001 – G.R.Barueri 1996 a 2000 – S.C.Corinthians Pta

Títulos: Bicampeão da Taça São Paulo, Campeão Paulista, Campeão dos Jogos Abertos, Campeão Goiano, campeão da Liga Centro – Oeste, Bicampeão Brasileiro de Clubes, Campeão Brasileiro de Seleções de Estados, Campeão da Copa da Bélgica, Campeão da Superliga da Bélgica, Campeão da Green Cup da República Tcheca,

Erick já foi convocado para Seleção Paulista. Em 2003, foi convocado pela Seleção Goiana, onde disputou o Brasileiro de Seleções e convocado para a Seleção Brasileira Universitária, que disputou o Mundial de 2004. Em 2009, retornou para Seleção Paulista onde treina para disputar o Brasileiro de Seleções.

0 visualização0 comentário