• Fabio Ritter

Era a hora de Marcos voltar?

Antes de continuar, já quero deixar claro que não me atreveria a dizer que Marcos é de alguma forma culpado pelo fiasco do Palmeiras, ontem em Curitiba. Inclusive acho muito difícil que algum goleiro possa ser responsabilizado por sua equipe levar nada menos que seis gols em 90 minutos, em um jogo da elite do futebol profissional. Mas o que quero comentar aqui é o fato do goleiro palmeirense retornar ao posto de titular quando Deola vinha sendo um dos destaques da equipe.

Em 2007, viveu-se uma situação parecida quando Marcos, em má forma, retomou a titularidade colocando Diego Cavalieri no banco. Naquele momento, Cavalieri estava como Deola hoje, em grande fase.

Todos nós sabemos quem é e o que fez Marcos, simplesmente campeão do mundo pela seleção brasileira em 2002, heroi da Libertadores de 1999, entre outras façanhas. Entretanto, Marcos, hoje com 37 anos, precisa de um tempo maior para retomar a forma física e técnica.

Se o Palmeiras estivesse desesperado atrás de goleiro, até tomaria a mesma decisão de Felipão e colocaria Marcão de volta com a 1. No entanto, Deola não só foi o goleiro menos vazado do Paulistão 2011, vencendo o Índice Penalty Guarda-Metas, como também foi um dos melhores, se não o melhor, jogadores do Palmeiras.

Por essas duas razões, a grande fase de Deola e a idade avançada de Marcos, acho que Felipão poderia ter esperado um pouco. Além disso, a partida diante do Coritiba era pelas quartas de final da Copa do Brasil, a competição mais importante do primeiro semestre para o Verdão. Não era uma partida qualquer.

Por isso, Marcos poderia ter dado a sua contribuição de sempre sentado no banco de reservas. E repito: provavelmente ele estaria lá acudindo seus companheiros pelos mesmos 6 gols sofridos, pois essa goleada não passa por ele. Acho que a reserva, além de ser mais justo pela performance de Deola, também poderia ter privado Marcão desse grande fiasco palmeirense.


0 visualização0 comentário