• Fabio Ritter

Erros e acertos

Zapata, goleiro do Cúcuta, teve uma noite de um erro e vários acertos na partida diante do Nacional, pelas quartas de final da Libertadores. Logo no início do jogo, falhou feio no gol sofrido após cabeçada do adversário que encobriu o goleiro. A bola foi desviada no primeiro poste, sendo que o jogador do Nacional estava de costas para a bola e agachado. Após desviar na bola, esta subiu e acabou caindo lá atrás do goleiro Zapata que se posicionou mal.

Tudo bem, após isso ele teve uma atuação irrepreensível. Na segunda etapa, teve uma seqüência incrível de defesas, que mais ou menos caracteriza aqueles dias que o torcedor diz: não vai dar. No caso, o torcedor do Nacional. Sim, após um chute quase sem ângulo de Martinez, Zapata fez a defesa quase grudado no poste, em jogada típica de futsal. No rebote, Vera mandou outro chute à queima-roupa, mas o goleiro novamente fechou bem o ângulo e se atirou para o lado esquerdo à meia altura antevendo a conclusão do atacante e espalmando a bola para longe.

Em outra jogada de Martinez, a bola já havia passado a linha da pequena área e o atacante pegou meio sem jeito, mas concluiu a gol. Zapata saiu nos pés dele e com suas pernas prendeu a bola que acabou na sua mão. Acabou não tendo culpa no segundo gol marcado de cabeça por Vera. Salvou seu time e garantiu a classificação.

Nessa partida, destaque também para o jovem goleiro Muslera, do Nacional. Havia feito grande atuação contra o Inter, em Porto Alegre e contra o Necaxa, no México. Ontem, apesar de não ter sido muito exigido, já que seu time precisava do resultado, fez bela defesa logo no início do jogo em chute de meia distância. Ele mandou de mão trocada para escanteio bola que veio em seu lado esquerdo alto. Não teve culpa nos gols também.

Por fim, uma curtinha do goleiro Denis, da Ponte Preta. Entre algumas paralisações do jogo do Nacional, vi um pouquinho da Série B. Foi o suficiente para ver três grandes defesas do goleiro da Ponte. A primeira foi em uma cobrança de falta de média distância na qual ele espalmou a bola para o lado e no rebote também defendeu firme a conclusão do adversário. A terceira grande defesa foi em um chute cara a cara, que ele caiu para fazer firme defesa após chute rasteiro. Grandes defesas. Puro reflexo e agilidade.

0 visualização0 comentário