• Fabio Ritter

Essa regra tem de mudar


rafael moura penalti inter chapecoense

O que há de errado na foto acima? Não, não é um novo goleiro do Internacional parecido com o He-Man. É o próprio atacante do clube substituindo o expulso Dida na função de goleiro na partida de ontem diante da Chapecoense. A cobrança sacramentou o quinto gol do esquadrão catarinense na histórica goleada diante dos gaúchos, no Brasileirão 2014.


Fosse em uma partida de futebol amador, várzea ou bate-bola dos amigos da firma, tudo bem. Mas em um campeonato profissional de futebol não se pode mais admitir que o treinador não possa substituir um jogador, em caso de expulsão do seu goleiro. Pode parecer interessante e folclórico para alguns, mas para o espetáculo não fica legal.

Evoluímos tanto ao lançar a tecnologia de linha do gol, na Copa do Mundo, sepultando as dúvidas se a bola entrou o não. Tive o prazer de assistir ao vivo isso acontecendo na partida entre França e Honduras. Um avanço para os jogadores e também para o público torcedor. Aquele papo furado de que o erro do juiz dá graça, só serve quando é para os outros. Quando arde no nosso, não tem graça nenhuma.

Este avanço trazido na copa traz um jogo mais justo, o dito fair play sempre defendido pela FIFA. Penso que nessa linha, deveria se rever a regra de substituições. Deveria-se acrescer um parágrafo estipulando que, no caso de uma expulsão do goleiro, o reserva da mesma posição poderá entrar em substituição a um jogador de linha. Isso sim é justo, é fair play.

Vejamos no jogo de ontem, por exemplo. O Inter, além de perder um jogador expulso, perde mais o goleiro. É como se tomar 2 vermelhos em 1. Não me parece muito justo isso, pois o time já vai ficar com um jogador a menos. Não deixar este time repor o goleiro me parece uma punição em demasia.

Por fim, o jogo fica mais feio, pois por melhor que seja o goleiro improvisado, sempre será um atrapalhado debaixo dos postes. Se teria um jogo melhor, com um goleiro reserva da função.

Acho que vale a FIFA pensar no assunto e rever essa regra de uma vez por todas. Já não basta ficar assistindo a quase todos os jogos da temporada no banco, o goleiro reserva também tem de ser privado de entrar em campo quando o time realmente precisa dele?

Unfair play nessa regra!

0 visualização0 comentário