• Fabio Ritter

Goleiro tem de ser guerreiro

A chegada da Copa Santander Libertadores é uma boa oportunidade para analisarmos os goleiros das outras regiões da América do Sul. Na partida de ontem entre o paraguaio Libertad e o equatoriano El Nacional, o primeiro levou a melhor por 4 a 1 garantindo-se na fase de grupos.


A partida, no entanto, revelou uma curiosidade na posição de goleiro. O clube equatoriano teve de fazer uma substituição no intervalo trocando o goleiro titular Danny Cabezas pelo reserva Bonard Garcia. Ali a partida já estava 3 a 1.

Garcia adentrou o campo e com apenas 5 minutos de segundo tempo chocou-se com o próprio zagueiro após uma saída arrojada do gol. O goleiro aqui mostrou muita coragem, mas acabou lesionando-se abrindo o supercílio.

Como a sua equipe já havia trocado o goleiro, Garcia não teve dúvidas e deixou o médico da sua equipe fazer uma sutura ali mesmo no gramado. Com agulha e linha em riste, os médicos do El Nacional costuraram o goleiro e o deixaram apto a continuar na partida.

Garcia levantou e seguiu em frente fazendo um belo segundo tempo. Não teve medo de sair do gol, além de ter operado alguns milagres. Sem culpa no quarto gol, o goleiro foi um exemplo de bravura a todos os companheiros de posição.

Fica a dica para os goleiros que ao sentirem uma dorzinha ali, um corte aqui, que o que vale é defender o nosso time. Nem que para isso precisemos suar sangue.


0 visualização0 comentário