• Fabio Ritter

Goleiro tem que ter personalidade

Dentre as principais finais de campeonato estadual neste último final de semana, não poderia de deixar de comentar a que mais teve influência de goleiro, a do Campeonato Carioca. Na partida decisiva mais disputada, Bruno, do Flamengo, teve papel fundamental na conquista do título.

A conquista do campeonato carioca pelo Flamengo mostrou, mais uma vez, que goleiro tem de ter personalidade. Falo isto pois quando da cobrança das penalidades máximas, já tinha pra mim que o Flamengo seria o campeão. Pensei isso porque o goleiro Bruno tem personalidade forte. Renan, ainda por ser muito novo, não iria meter medo nos atacantes flamenguistas. Além disso, Bruno já havia defendido uma cobrança durante a partida.

Uma decisão de campeonato nos pênaltis envolve mais do que nada o aspecto psicológico. A confiança é a caracterísitca que transcende nos momentos decisivos. Por isso reafirmo que nesse quesito, o goleiro Bruno mostrou estar bem. Renan, inclusive, foi muito bem para a primeira cobrança, mas inexplicavelmente a bola bateu em suas mãos e entrou no gol. Durante a partida, Renan se posicionou mal no primeiro gol, ficando muito para o primeiro poste, erro comum e constantemente analisado aqui no Blog. Bruno também errou em um cruzamento no qual ele se adiantou, mas por sorte a bola acabou batendo no poste. A defesa no penalti inflou ainda mais o ego do goleiro.

No momento das cobranças de pênaltis, certamente o medo que o goleiro flamenguista despertou nos atacantes botafoguenses foi muito maior do que o que Renan despertou nos rubro-negros. Assim, esta final provou que que a confiança é um dos aspectos principais a ser trabalhados no campo psicológico com os goleiros. Uma deficiência ou uma aptidão nesta caracterísitca fará a diferença nos momentos decisivos.


0 visualização0 comentário