• Fabio Ritter

O velho e calmo Dida


Tá certo que ele não foi muito exigido na partida final contra o Boca Juniors, pelo Mundial de Clubes. Mas quando a equipe precisou dele, principalmente na segunda etapa, lá estava o calmo, sereno, tranqüilo Nelson de Jesus, nosso Dida.

Falhou em uma saída de gol no primeiro tempo, que ele passou completamente batido na bola, e talvez tenha chegado tarde no chute de Ibarra que bateu no poste, no segundo tempo. Todavia, o goleiro esteve presente nas principais tentativas do Boca, após o 4 a 1. Após o técnico Carlo Ancellotti colocar quase onze zagueiros, a bola pouco saiu da área milaneza.

Dida fez uma bela defesa no lance que acabou resultando no gol, após um chute disparado quase de dentro da pequena área. O goleiro espalmou com força para o lado, mas a bola acabou sobrando para outro atleta do Boca arrematar novamente e bater em Ambrosini, desviando do goleiro.

O velho Dida ainda guarda muita bagagem consigo. Muita técnica e uma calma invejável. Grande goleiro.

0 visualização0 comentário