• Fabio Ritter

Protege o Gol!!!

De novo escrevo, 8 dias após fazer o post sobre o gol sofrido por Bruno, do Palmeiras, um novo texto acerca do posicionamento em cruzamentos. Parece que agora virou moda os goleiros se posicionarem na linha da pequena área, para tentar blocar os cruzamentos sempre venenosos dos adversários.

Entendo a intenção deles. Claramente querem dar alguns passos a frente para ganhar terreno nos cruzamentos que geralmente caem ali na risca da área sendo de difícil defesa para eles, e de difícil corte por parte dos zagueiros. O problema é que na prática, uma das mais básicas técnicas de posicionamento de goleiros está sendo esquecida: proteger o gol antes de qualquer outra coisa.

Sempre que se fala de posicionamento, seja em um chute frontal, em um chute cruzado, ainda em uma situação de ataque, sempre se busca em primeiro lugar estar em um ponto no qual se possa fechar o ângulo de oponente e estar apto a defender. Quando o goleiro se adianta do gol, ele fecha o ângulo horizontal do atacante, porém aumenta o ângulo vertical. Este, foi onde Bruno foi vencido no cruzamento que o encobriu e entrou direto nas redes.

Na partida sensacional entre Chelsea e Liverpool, ontem pela UEFA Champions League, motivo desse post, o excelente Petr Cech errou nos dois fechamentos de ângulo. Errou tanto no posicionamento horizontal como no vertical. Note no vídeo abaixo, que ele está posicionado na linha da pequena área, abrindo o ângulo vertical e quase no segundo poste, abrindo o ângulo horizontal. Dessa forma, Fabio Aurelio viu o canto esquerdo de Cech aberto e colocou a bola ali a meia altura. A barreira de um homem formada pelo goleiro também estava mal posicionada, mais para o centro deixando seu canto aberto. Culpa também do seu companheiro que pulou todo torto para a bola.


Eu espero que essa sequência de reveses em situações de cruzamentos que estão entrando direto no gol atente os goleiros de que sua primeira função é cuidar do gol, protegê-lo de eventuais chutes. Depois disso, pensa-se em sair para o cruzamento. Ficar no meio da pequena área já é suficiente para poder sair no alto ou voltar até o gol. É só usar a lógica. O gol sofrido por Bruno foi responsabilidade dele e o Cech, então, mais ainda. Mas se uma bola fosse alçada na área cabeçada a gol e entrasse, como o gol de Miranda, do São Paulo, no Domingo, o goleiro não levaria à culpa. Deve-se pensar nisso. Nesse momento o goleiro tem de ser um pouco egoísta e pensar primeiramente na sua função. Isso nada mais é proteger o gol!

0 visualização0 comentário