• Fabio Ritter

Sem frescura

Quando falo que Bruno ainda me parece um goleiro não-pronto para a seleção brasileira, tenho a certeza quando vejo lances como o protagonizado pelo goleiro no último sábado, na partida diante do Avaí, pelo Campeonato Brasileiro.

Em uma recuada de bola que o goleiro teve tempo suficiente para decidir qual a melhor opção de saída de jogo, ele optou por tentar aplicar uma série de dribles em cima do atacante. Para sua sorte conseguiu o feito. No entanto, na sequência acabou entregando de bandeja para o atacante que desperdiçou chutando fraco ao gol.

Agora imagina a mesma jogada em uma partida de quartas de final entre Brasil e Argentina. A primeira invetada, os dribles, são executados em cima de Tevez. Incrivelmente Bruno consegue a jogada. Na sequência a bola sobra pra Messi. Tu realmente acha que ele erraria dali? Para a sorte do goleiro, a única semelhança do Avaí com a Argentina eram as cores.

Para jogar na seleção tem de se mostrar muita segurança. Excesso dela, como Bruno mostrou, não faz bem. Pode levar o goleiro à soberba de querer inventar. E ali, dentro daquela área, não é lugar de se fazer isso. Deixa essa tarefa pros Ronaldos, Kaká, Pato e Cia.

Veja a lambança no vídeo abaixo.


0 visualização0 comentário