• Fabio Ritter

Viaduto

Nada mais certo que comparar a vida de um goleiro àquele dito popular de que a vida é como um viaduto, as vezes se está em cima, as vezes se está em baixo. Semana passsada publiquei aqui um post falando sobre a excelente atuação do goleiro espanhol Almunia, do Arsenal. Também pudera, ele havia fechado o gol diante do Manchester United, na primeira partida das semi-finais da Uefa Champions League. Hoje escrevo para comentar de uma falha do mesmo goleiro na partida de volta.

O jogo já estava 1 a 0 contra é verdade. Meio caminha estava andado para o Manchester. Mas a pá de cal veio em uma cobrança de falta de Cristiano Ronaldo na qual Almúnia chegou com os braços baixos demais e falhou. O gol sacramentou a classificação do Manchester as finais. Por ironia do destino Almunia acabou tendo uma influência direta nisso, mesmo tendo fechado o gol na ida.

É assim mesmo a vida de goleiro. Tempos atrás comentei de uma grande atuação de Cech e dias mais tarde ele veio a falhar. Isso acontece com todos, infelizmente, pois teríamos que não ser humanos nestas horas e simplesmente não errar. Como isso não pode acontecer, erramos.

Almunia teve a capacidade psicológica de seguir em frente na partida e, assim, continuar fazendo boas defesas. Não se deixou abalar com isso. Essa é a lição que se deve tirar de uma partida internacional como essa. Erros acontecem com todos, até com quem tá na Champions League.


0 visualização0 comentário